Notícias Organismos Públicos

Todas

2022-08-05 16:32:00 -

Saúde confirma mais dois casos de monkeypox e orienta como se prevenir

A Secretaria de Saúde confirmou mais dois casos de monkeypox. Com isso, Campinas passa a contar com 20 casos da doença. Os pacientes, 18 homens e duas mulheres (uma gestante), têm entre 23 e 50 anos. Seis deles saíram do isolamento. Os demais contam com acompanhamento ambulatorial, sem gravidade e com boa evolução. Do total de casos, 12 são importados e oito autóctones. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, dia 5 de agosto, durante transmissão ao vivo nas redes sociais do prefeito Dário Saadi. 

O objetivo da live foi informar e esclarecer dúvidas sobre a doença. “É uma nova emergência em saúde pública. Claramente é uma doença com contágio diferente da covid-19. Pessoas com qualquer sintoma devem procurar os serviços de saúde. Nossas unidades estão preparadas para atendimento e diagnóstico”, disse o secretário de Saúde Lair Zambon. 

 

O atendimento para os pacientes com suspeita da doença está disponível nos centros de saúde, prontos-socorros, pronto atendimentos e no Centro de Referência em IST, HIV/Aids e Hepatites Virais.

 

“Sabemos que é um desafio novo, mas Campinas é referência em Vigilância em Saúde. Vamos promover as ações necessárias para enfrentar a monkeypox”, afirmou o prefeito.    

 

Sintomas

 

O principal sintoma é o aparecimento de lesões parecidas com espinhas ou bolhas que podem surgir no rosto, dentro da boca ou em outras partes do corpo, como mãos, pés, peito, genitais ou ânus;

- Caroço no pescoço, axila e virilhas;

- Febre;

- Dor de cabeça;

- Calafrios;

- Cansaço;

- Dores musculares.

 

Pessoas infectadas devem permanecer isoladas até que as “casquinhas” das lesões caiam, o que demora cerca de 21 dias. 

 

Os contatos próximos devem monitorar o aparecimento de sintomas e evitar o contato físico com outras pessoas. 

 

Cuidadores e familiares não devem tocar em lesões e ter cuidado ao manipular  roupas, lençóis e toalhas que foram usados pela pessoa infectada. 

 

Como se prevenir

- Evitar contato direto com lesões características da doença;

- Lavar as mãos com frequência ou usar álcool em gel;

- Limpar com frequência as superfícies de alto contato;

- Usar máscara em locais com aglomerações de pessoas;

- Evitar situações de contato físico pele a pele em ambientes com aglomeração;

- Usar fontes confiáveis para ter informações sobre a doença.