Notícias Organismos Públicos

Câmara Municipal

2022-08-03 14:15:00 -

CPI da Pirataria é novamente prorrogada por mais 120 dias
André Bueno | REDE CÂMARA SP

Reunião da CPI da Pirataria desta quarta-feira (3/8)

DANIEL MONTEIRO
DA REDAÇÃO

Na retomada dos trabalhos após o recesso parlamentar, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pirataria aprovou, em reunião nesta quarta-feira (3/8), uma nova prorrogação dos trabalhos por mais 120 dias. Essa é a segunda vez que as investigações são estendidas.

Dessa forma, a CPI da Pirataria manterá as atividades até fevereiro de 2023. “Nós vamos pegar o Natal, que é o grande mês dos piratas e aí nós vamos mostrar nossa força. Nós vamos ter muitas convocações, faremos [reuniões] extraordinárias duas vezes por semana”, comentou o presidente da Comissão, vereador Camilo Cristófaro (AVANTE).

A prorrogação dos trabalhos da CPI da Pirataria também possibilitará que mais testemunhas sejam ouvidas e que os convocados que faltaram anteriormente sejam conduzidos coercitivamente para prestar esclarecimentos. “Porque fazendo extraordinária, faremos a terceira convocação mais rápido e, na terceira convocação, vem a coercitiva. E queremos começar a trazer esses tubarões que mandam na pirataria de São Paulo e do Brasil”, explicou Cristófaro.

Requerimento

Os vereadores também aprovaram a segunda intimação para que Abdu Habib Barakat, administrador do Shopping Veneza, preste esclarecimentos à Comissão. Ele era esperado nesta quarta-feira, mas não compareceu e não enviou justificativa para a ausência.

A reunião foi conduzida pelo presidente da CPI da Pirataria, vereador Camilo Cristófaro (AVANTE). Também participaram o vice-presidente da Comissão, vereador Adilson Amadeu (UNIÃO), e os vereadores Gilson Barreto (PSDB) e Rodrigo Goulart (PSD), membros do colegiado. A íntegra dos trabalhos está disponível no vídeo abaixo:

A CPI da Pirataria

A CPI da Pirataria tem como objetivo analisar e investigar a evasão fiscal, a sonegação, a pirataria e a falsificação na cidade de São Paulo. Além de fiscalizar a comercialização de produtos piratas na capital paulista, a Comissão também vai investigar empresas por suposta evasão fiscal.